segunda-feira, 23 de maio de 2016

[Literatura Infantil] A Admirável Aventura de Mandela contada aos mais jovens, de Maria Inês Almeida

Este livro é uma óptima ferramenta de trabalho para professores e educadores, contando ainda com uma secção final de Curiosidades sobre a África do Sul, que estabelece ligações históricas entre os dois países, através de figuras como Vasco da Gama e Fernando Pessoa. É o único livro destinado ao público infantil publicado em Portugal sobre Mandela escrito por uma autora portuguesa e inserido na mesma série dos títulos "A Admirável Aventura Malala" e "Francisco, o Nosso Papa".

Autor: Maria Inês Almeida
Ilustração: Sandra Lavandeira
Editor: Planeta Editora
Dimensões: 18,5 x 26 cm
Nº Páginas: 64
Idade Recomendada: + 7 anos



Nos últimos tempos tenho-me dedicado bastante às leituras para os pequenos e quando vi este livro não resisti. Este foi o primeiro livro que recebi da colecção Planeta Junior e confesso que não sabia bem o que esperar. 

O livro é em capa dura com umas ilustrações maravilhosas, tem 64 páginas sendo que as finais são curiosidades sobre África do Sul. Apesar de ser um livro para maiores de 7 anos e os meus filhos terem 6 e 4 (quase 4) a verdade é que já li este livro várias vezes desde a sua chegada e eles gostam imenso. Tendo em conta a história e os valores que estão aqui representados adoro o facto deles quererem esta leitura por sistema. 

A narrativa começa com uma breve explicação do apartheid e logo em seguida insere-se a figura de Mandela fazendo um pequeno resumo da sua vida. Pequeno mas suficientemente poderoso para deixar uma mensagem às crianças que não ficam indiferentes ao conteúdo. As fabulosas ilustrações de Sandra Lavandeira dão movimento à narrativa cativando a atenção dos mais pequenos e a autora Maria Inês Almeida escreve de uma forma muito directa, sendo que muitas vezes fala com o pequeno leitor levando-o a interagir com a história.

Uma obra que nos fala de injustiças sociais, da ditadura dos brancos contra os negros e de um homem com sede de igualdade que luta contra um regime opressor tudo de forma simples e clara para que as crianças consigam aprender com o passado para melhorar o futuro. Um livro que todas as crianças deveriam ler.




Este livro foi gentilmente cedido pela Planeta em troca de uma opinião honesta

sexta-feira, 20 de maio de 2016

[Beleza] Usar (bem) Lápis de Lábios



Texto: Leonor Morais Vasconcelos


Blog Parceiro: Trinta e Tal




Uso lápis de lábios desde sempre e adoro.
É talvez o meu produto de maquilhagem favorito, até porque como tenho os lábios clarinhos, é muito favorecedor.

Ao contrário das «regras», uso lápis de lábios tanto para desenhar o contorno como para os preencher. Fica lindamente e dura o dobro do tempo do que se usar batom!

O objectivo principal do lápis de lábios é delineá-los, deixando espaço para o preenchimento com batom.

Aqui ficam 3 regras muito simples sobre como melhor usar este produto:

Não use cores mais escuras do que o batom que vai usar; fica com um ar muito pesado e mais velho.
Misture sempre bem com o batom, para que não se perceba a fronteira entre o desenho do lápis e o batom – fica muito feio.
Não ultrapasse a linha dos seus lábios. Há profissionais que fazem isto para criarem a ilusão de lábios mais grossos, mas é preciso saber fazer, senão fica mal.




segunda-feira, 16 de maio de 2016

[Período de Descontos] Benfica é tricampeão!

Texto: Pedro Ferreira de Carvalho

Foto: Direitos Reservados



O Benfica confirmou na última jornada o que todos os benfiquistas esperavam desde a 25ª jornada, quando as águias ganhando o derby de Alvalade, passaram para a liderança da liga, para não mais a perder. Rui Vitória e Jorge Jesus, nessa altura vaticinaram algo que não veio a acontecer: que ainda seriam perdidos pontos até final, algo que não aconteceu de parte a parte.

DESTAQUE:

O Benfica recebia o Nacional da Madeira e o Sporting deslocava-se a Braga. Para o Sporting não bastava ganhar. Para o Benfica bastava o Sporting não ganhar. Mas os dois conjuntos de Lisboa mostraram com os resultados obtidos nesta última jornada aquilo que foi este campeonato. Um domínio bastante vincado das duas melhores equipas portuguesas da actualidade, que foram, de longe, bastante superiores aos demais adversários.

O Sporting ainda teve o título “na mão” (ainda que por apenas 3 minutos) quando marcou o primeiro golo na pedreira, aos 20 minutos, por Teo Gutiérrez, mas logo depois, Nico Gaitán marcava também na Luz, perante o Nacional. Nessa altura, o Braga ficava reduzido a 10 unidades, após expulsão de Arghus, por falta sobre William à entrada da área. Numa decisão pouco vulgar no nosso futebol, mas muito salutar, o árbitro que numa primeira análise tinha apontado a marca da grande penalidade, após conferenciar com o árbitro assistente, aparentemente melhor colocado, rectificou o seu juízo, marcando livre à entrada da área. Ainda antes do intervalo, o Sporting (por Slimani) e o Benfica (por Jonas) ampliaram as respectivas vantagens.

Intervalo nas duas partidas, com o Benfica a 45 minutos da revalidação do título nacional.
No segundo tempo, tudo practicamente a papel químico do primeiro. Nico Gaitán a elevar para 3-0, com Bryan Ruiz a fazer o mesmo, minutos depois. Aliás, o costa-riquenho viria a bisar minutos depois, fazendo o resultado final de 4-0 em Braga. Na Luz, até final, um golo para cada lado, com Pizzi a facturar para o Benfica e com Salvador Agra a marcar o golo de honra. Resultado final de 4-1 na Luz.

Final da Liga, com o Benfica a alcançar o tricampeonato que lhe fugia há 39 anos. Para o ano, incentivo adicional de partir com a ambição de poder conquistar um tetra-campeonato, feito apenas alcançado pelos rivais Sporting – em 1953-54 – e por FC Porto – em 1997-98 (alcançando na época seguinte o penta) e em 2012-13.

O Sporting acaba o campeonato em segundo lugar, alcançando o record de pontos (86) que estava na posse do FC Porto de 2002-03. No entanto tal noi foi suficiente para se sagrar campeão, pois o Benfica de Rui Vitória fez mais 2 pontos, alcançando novo record de pontos na liga com 18 clubes.

LIGA NOS:

A jornada começou no sábado, a horas pouco comuns, mas que provavelmente já na próxima época começarão a ser mais frequentes. Foi pelas 11:45 que o FC Porto dava início à despedida de uma Liga que não quererá decerto repetir. Apesar da vitória folgada por 4-0 perante o Boavista, os dragões acabam em terceiro, a 13 pontos do Sporting e a 15 do campeão Benfica.

Independentemente dos resultados desta jornada, o Braga já tinha garantido o quarto posto e o Arouca já tinha alcançado na semana anterior o acesso à Liga Europa da próxima época.

A Académica de Coimbra foi a primeira equipa a ser despromovida, na penúltima jornada, pelo que, para além da questão do título, havia apenas dois lugares por decidir. O último lugar europeu e o outro despromovido. Curiosamente, ambas as equipas que ocuparam estas posições acabaram por se defrontar. O União da Madeira recebeu e perdeu 2-1 com o Rio Ave, com os vila-condenses a carimbar o acesso europeu, deixando de fora o Paços de Ferreira e o Estoril Praia. Por seu lado, o União da Madeira acabou por não conseguir a manutenção, ao contrário de Vitória de Setúbal e Tondela que escaparam na recta final.

Classificação:
1º Benfica – 88 pts (Liga dos Campeões – fase de grupos)
2º Sporting – 86 pts (Liga dos Campeões – fase de grupos)
3º FC Porto – 73 pts (Liga dos Campeões – play-off)
4º Braga – 58 pts (Liga Europa – fase de grupos)
5º Arouca – 54 pts (Liga Europa – 3ª pré-eliminatória)
6º Rio Ave – 50 pts (Liga Europa – 3ª pré-eliminatória)
17º U. Madeira – 29 pts (despromovido à 2ª Liga)
18º FC Porto – 25 pts (despromovido à 2ª Liga)

Melhor Marcador:
1º Jonas – 32 golos (Benfica)
2º Slimani – 27 golos (Sporting)
3º Mitroglou – 20 golos (Benfica)

Sobem à primeira liga na próxima época: Desportivo de Chaves e Feirense

EUROPA:

ESPANHA – Um desfecho semelhante ao da liga portuguesa. Barcelona em primeiro lugar, com o Real Madrid a um ponto de distância. Ambos triunfaram na ronda final, com os catalães a revalidar o título nacional. Ronaldo bisou no triunfo dos merengues na Corunha, perante o Deportivo, mas o Barça ganhou em Granada, com hat-trick de Luis Suárez, que garante assim a Bota de Ouro.

Classificação:

1º Barcelona – 91 pts (Liga dos Campeões – fase de grupos)
2º Real Madrid – 90 pts (Liga dos Campeões – fase de grupos)
3º Atlético Madrid – 88 pts (Liga dos Campeões – fase de grupos)
4º Villarreal – 64 pts (Liga dos Campeões – play-off)
5º Athletic Bilbao – 62 pts (Liga Europa – fase de grupos)
6º Celta de Vigo – 60 pts (Liga Europa – 3ª pré-eliminatória)
18º Rayo Vallecano – 38 pts (despromovido à 2ª Liga)
19º Getafe – 36 pts (despromovido à 2ª Liga)
20º Levante – 32 pts (despromovido à 2ª Liga)

Melhor Marcador:

1º Luis Suárez – 40 golos (Barcelona)
2º C. Ronaldo – 35 golos (Sporting)
3º Lionel Messi – 26 golos (Barcelona)

INGLATERRA – Vitória histórica do Leicester City, no meio dos concorrentes milionários.

Classificação:
1º Leicester City – 81 pts (Liga dos Campeões – fase de grupos)
2º Arsenal – 71 pts (Liga dos Campeões – fase de grupos)
3º Tottenham – 70 pts (Liga dos Campeões – fase de grupos)
4º Manchester City – 66 pts (Liga dos Campeões – play-off)
5º Southampton – 63 pts (Liga Europa – posição por decidir)
6º Man. United – 63 pts (-1 jogo) (Liga Europa – posição por decidir)
18º Newcastle – 37 pts (despromovido à 2ª Liga)
19º Norwich – 34 pts (despromovido à 2ª Liga)
20º Aston Villa – 17 pts (despromovido à 2ª Liga)

Melhor Marcador:

1º Harry Kane – 25 golos (Tottenham)
2º Kun Agüero – 24 golos (Manchester City)
3º Jamie Vardy – 24 golos (Leicester)

ITÁLIA – A Juventus sagra-se penta-campeã.

Classificação:
1º Juventus – 91 pts (Liga dos Campeões – fase de grupos)
2º Napoli – 82 pts (Liga dos Campeões – fase de grupos)
3º Roma – 80 pts (Liga dos Campeões – play-off)
4º Inter – 67 pts (Liga Europa – fase de grupos)
5º Fiorentina – 64 pts (Liga Europa – 3ª pré-eliminatória)
18º Carpi – 38 pts (despromovido à 2ª Liga)
19º Frosinone – 31 pts (despromovido à 2ª Liga)
20º Hellas Verona – 28 pts (despromovido à 2ª Liga)

Melhor Marcador:

1º Higuaín – 36 golos (Napoli)
2º Paulo Dybala – 19 golos (Juventus)
3º Carlos Bacca – 18 golos (Milan)

ALEMANHA – O Bayern Munique alcançou o tetra-campeonato.

Classificação:

1º Bayern – 88 pts (Liga dos Campeões – fase de grupos)
2º Dortmund – 78 pts (Liga dos Campeões – fase de grupos)
3º Leverkusen – 60 pts (Liga dos Campeões – fase de grupos)
4º M’gladbach – 55 pts (Liga dos Campeões – play-off)
5º Schalke 04 – 52 pts (Liga Europa – fase de grupos)
6º Mainz – 50 pts (Liga Europa – fase de grupos)
7º Hertha – 50 pts (Liga Europa – 3ª pré-eliminatória)
16º Frankfurt – 36 pts (play-off despromoção)
17º Stuttgart – 33 pts (despromovido à 2ª Liga)
18º Hannover 96 – 25 pts (despromovido à 2ª Liga)

Melhor Marcador:

1º Lewandowski – 30 golos (Bayern)
2º Aubameyang – 25 golos (Dortmund)
3º Müller – 20 golos (Bayern)

FRANÇA – Há muito encontrado o campeão gaulês, o PSG ganha o 4º campeonato seguido.

Classificação:

1º Paris SG – 96 pts (Liga dos Campeões – fase de grupos)
2º Lyon – 65 pts (Liga dos Campeões – fase de grupos)
3º Monaco – 65 pts (Liga dos Campeões – 3ª pré-eliminatória)
4º Nice – 63 pts (Liga Europa – 3ª pré-eliminatória)
5º Lille – 60 pts (Liga Europa – 3ª pré-eliminatória)
18º Stade Reims – 39 pts (despromovido à 2ª Liga)
19º GFC Ajaccio – 37 pts (despromovido à 2ª Liga)
20º Troyes – 18 pts (despromovido à 2ª Liga)

Melhor Marcador:

1º Ibrahimovic – 36 golos (Paris SG)
2º Lacazette – 21 golos (Lyon)
3º Cavani – 19 golos (Paris SG)

PRÓXIMOS ENCONTROS:

Terminadas as ligas nacionais, venham as finais das taças, incluindo as europeias:

18-05-2016 19:45 – Liverpool – Sevilha (Liga Europa)
20-05-2016 19:45 – Marítimo – Benfica (Taça da Liga – Portugal)
21-05-2016 15:00 – Crystal Palace – Man. United (FA Cup – Inglaterra)
21-05-2016 19:00 – Bayern – Dortmund (DFB Pokal – Alemanha)
21-05-2016 19:45 – Milan – Juventus (TIM Cup – Itália)
21-05-2016 20:00 – Marseille – Paris SG (Coupe de France)
22-05-2016 17:15 – Braga – FC Porto (Taça de Portugal)
22-05-2016 20:30 – Barcelona – Sevilha (Copa del Rey – Espanha)
28-05-2016 19:45 – Real Madrid – Atlético Madrid (Liga dos Campeões)

sexta-feira, 13 de maio de 2016

[Cultura - Crítica Literária] "Raven - Noites de Florença", de Sylvain Reynard



Crítica Literária

Texto: Isabel de Almeida/Nova Gazeta/Os Livros Nossos

Raven - Noites de Florença, do autor Sylvain Reynard é um romance de cariz fantástico, que corresponde a um muito bem conseguido spin off da série " O Inferno de Gabriel", também editada em Portugal pela chancela Chá das Cinco das Edições Saída de Emergência.

   O roubo de importantes ilustrações de Boticelli, propriedade do Professor Gabriel Emerson e da esposa Julianne, que se encontravam em exposição na Galeria Uffizi, no coração da Cidade de Florença, faz incidir o foco das atenções na jovem Raven Wood, uma conservadora de arte que, em simultâneo com o facto de ver recair sobre si fortes suspeitas de prática de um crime, entra inadvertidamente em contacto com o submundo da cidade de Florença, governado pelo atraente e devastadoramente sexy e misterioso William York, o príncipe de Florença.

   Raven assiste a mudanças em si mesma que jamais suspeitaria possíveis, e vê em risco a sua segurança e a permanência em Florença, onde sente ser a sua zona de conforto, perante o peso de demónios do passado, na sua terra Natal nos Estados Unidos. Portadora de uma deficiência física, sonha, sem grande esperança, ser bem sucedida em termos afectivos. 

   Caberá a Raven redescobrir a sua identidade e o seu valor enquanto pessoa, fazendo um percurso pessoal e afectivo que ponham em evidência que as imperfeições e as vulnerabilidades são inerentes à condição humana, e num rasgo de ironia, afectam também seres com poderes sobrenaturais, como os vampiros que habitam o submundo de Florença.

   Curiosamente, William York, o Príncipe de Florença, é um ser com poderes sobrenaturais, e que se julga incapaz de amar, muito embora revele especiais aptidões ao nível sensual e sexual. Sentindo a ameaça sempre premente sobre o seu mundo, tendo de lutar contra poderosos inimigos, e receando, a todo o momento, ver-se traído pelo seu círculo mais próximo (o Consilium,  que integra seis membros, a que se soma o Príncipe, e que reveste a natureza de um conselho governativo do Principado de Florença).

   Também o poderoso Príncipe transporta consigo uma história pessoal algo traumática que, inevitavelmente, afecta o modo como se relaciona e se move no decurso da sua vida em termos sobrenaturais.

   Com efeito, uma das mensagens mais importantes deste romance é que a imperfeição, os medos, as dificuldades e a capacidade de resiliência perante as adversidades acabam por ser tão transversais a toda a humanidade que, num rasgo de sábia ironia, o autor prova que tal circunstancialismo pode também ser transversal ao submundo, onde dada a existência de poderes sobrenaturais, poder-se-ia dar como adquirida a mais absoluta perfeição e o auto-conhecimento.

   Um romance absolutamente fascinante, pelo belíssimo cenário da Cidade de Florença, que desfila perante os olhos do leitor em cada detalhe encantador; pelas personagens fortes, bastante densas psicologicamente e sui generis nas respectivas imperfeições, e pela narrativa muito bem estruturada e imensamente rica em apontamentos culturais e históricos.

 As alusões a diversos aspectos históricos, em especial, ao Renascimento Italiano e ao seu relevante contributo para a história da arte acabam por ser o complemento ideal para afastar a obra de uma visão estereotipada, conferindo-lhe um factor de distinção, sem retirar a natureza sobrenatural e uns elegantes laivos de sensualidade e romantismo. 

Brilhante e a revisitar na estante!

Aviso: a leitura deste livro é passível de causar sintomas de ressaca literária!

Ficha Técnica:

Título: Raven - Noites de Florença

Autor: Sylvain Reynard

Editora: Saída de Emergência

Chancela: Chá das Cinco

1ª Edição: 08/04/2015

Páginas: 478

P.V.P.: 17,76€

Género: Romance Fantástico/paranormal


Nota de redacção: O exemplar da obra foi gentilmente cedido pelo editor para artigo de crítica literária.



[Beleza] Óleo de Argão - beleza natural ao seu alcance


Texto: Leonor Morais Vasconcelos

Blog Trinta e Tal

Fotos: Direitos Reservados



O argão é proveniente do fruto da argânia, uma espécie de planta endémica do sudoeste de Marrocos, tão nutritivo como rico para a culinária, medicina ou beleza.

A primeira vez que ouvi falar deste produto 100% natural foi quando fui a Marraqueche, em 2012, e em plena montanha do Atlas, em aldeias perdidas, mulheres pacientemente esmagavam estes frutos para daí retirar o precioso óleo – popularmente conhecido como o ouro de Marrocos. E porquê precioso? O óleo de argão é extremamente rico em Vitamina A e E e contém anti-oxidantes e ácidos Omega-6. Estudos comprovam que alivia inflamações na pele, sendo usado para tratar picadas de insectos e infecções. Tem também uma componente hidratante e promove a produção de células, melhorando a saúde da pele, do cabelo e unhas. Não é por acaso que as marcas de cosmética o têm vindo a utilizar nos seus produtos de cuidados para a pele e cabelos.



Os principais benefícios do óleo de argão são:

Hidratante – Após a sua rotina de limpeza e tonificação, coloque 1 gota (sim, apenas uma gota) na palma da sua mão, aqueça-a e aplique na cara e pescoço, em movimentos suaves circulares. No Inverno, poderá ser necessária uma 2ª gota, mas não mais  Pode usar com segurança em volta dos olhos; coloque 1 gota na mão e e dê pancadinhas suaves do nariz à têmpora e vice-versa.

Anti-Estrias – O óleo de argão pode ajudar a prevenir estrias, pois melhora a elasticidade da pele. Mas uma vez, aplique 1 a 2 gotas na palma da mão e esfregue nas zonas pretendidas.
Depilação – Após a depilação, a pele pode ficar vermelha e sensível. Se massajar com óleo de argão, verá a sua capacidade de aliviar a pele. Também pode ser usado pelos homens após terem feito a barba.

Creme de Corpo – Bastará juntar 1 a 2 gotas ao seu creme de corpo para o tornar mais hidratante e rico. Se tiver as plantas dos pés ou cotovelos muito secos, aplique directamente 1 gotinha e massaje.
Máscara para o cabelo – Ao massajar 1 a 3 gotas de óleo de argão, perceberá que o seu cabelo ficará muito melhor, nomeadamente com as pontas menos secas, e mais fácil de secar (se usar secador). Alguns estudos indicam que este óleo ajuda ao crescimento do cabelo, por isso massaje também o couro cabeludo. Não exagere na quantidade de óleo, pois depende da espessura e tamanho cabelo. Comece com ½ gota e vá ajustando.

Bálsamo para os lábios – Massaje-os diariamente com 1 gota de óleo de argão e limpe algum possível excesso. Verá como a sua boca ficará muito mais suave e, no Inverno, o cieiro desaparecerá.
Unhas e Cutículas – O que faz bem ao cabelo, faz bem às unhas, e o óleo de argão não é excepção. Após retirar o verniz, aplique 1 gotinha em cada unha e cutícula e massaje muito bem. No final de ter massajado as 10 unhas, lave-as muito bem e aplique verniz, se entender. O óleo vai amaciar as cutículas, prevenindo os espigões.

Pés Secos – Aplique 1 a 3 gotas (dependendo da secura) nas áreas a tratar e durma com meias, por forma a que a pele absorva o máximo possível. Se não gostar de dormir com meias, deixe-as calçadas pelo menos 20 minutos.




domingo, 1 de maio de 2016

[Espaço Psy] A vida passada numa “Fortaleza Vazia”

Texto: Cláudia de Andrade

Mestre em Psicologia Clínica Dinâmica pela Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa


As montanhas são belas mas não me dão nenhum sentimento especial...vocês olham o 
ribeiro, as flores e eu vejo o prazer que vocês têm ao fazê-lo... Tudo isso me é negado...”                                                                                               

 Temple Grandin


Consegue imaginar ter um bebé que não olha nem sorri para si? Que não identifica as suas expressões faciais? Uma criança que não responde às brincadeiras, que parece habitar um mundo só seu (ou uma “fortaleza vazia” como chamou Bettelheim), e para o qual não foi convidado? Uma criança que está lá mas parece não estar, que não parece alegrar-se com nada? Consegue imaginar-se mãe ou pai desta criança?
O impacto de um diagnóstico de autismo muda inevitavelmente o percurso da vida de uma criança mas também da sua família, sendo que cada vez mais, a intervenção precoce parece abrir todo um universo que pode vir a estar ao alcance da mesma. 
Muitas vezes mergulhados num período de incompreensão, de procura de respostas e de confusão, um diagnóstico de uma perturbação do espectro do autismo acarreta um prognóstico difícil de encarar pela família da criança. Longe das histórias idílicas de Hollywood, na realidade uma grande percentagem destas crianças ficarão dependentes de cuidados de outrem para o resto das suas vidas, e apenas algumas poderão ser autónomas, embora de uma forma limitada. 
No entanto, devemos lembrar que, associado à confirmação de um diagnóstico desta natureza, o potencial imenso destas crianças poderá ser trabalhado, apoiado e desenvolvido, o que muitas vezes leva a que se tornem adultos com papeis perfeitamente integrados na sociedade.
Esta patologia não consente uma explicação reducionista, apresentando comummente um quadro geral de défice muito vincado na socialização, comunicação e imaginação que se parece dever a uma falha na interação primária com os outros, em que a criança, na fase da construção da sua vida mental, se retira para dentro de si mesma, escudando-se de um meio externo que se configura extremamente agressivo, sem que esta tenha ainda um self suficientemente coeso que lhe permita elaborar este sentimento.
Actualmente, admite-se a possibilidade do autismo surgir associado a perturbações ao nível dos neuro-mediadores do cerebelo e, mesmo a hipótese da existência de uma anomalia genética na sua génese, pelo que é aceite a interação entre factores biológicos e uma falha efectiva no estabelecimento da relação primária que vem a impossibilitar o surgimento e desenvolvimento saudável da vida mental da criança
Se é tão característica esta retirada, esta incapacidade na relação, então porquê a demora e dificuldade em chegar a um diagnóstico?
Habitualmente, o autismo aparece associado a um leque muito vasto de patologias, tais como epilepsia, perturbações sensoriais e perceptivas (em que a criança se mostra extremamente sensível a certos estímulos e aparentemente sem resposta a outro tipo de estímulo), casos de autoagressão são comuns, perturbações emocionais (como labilidade emocional, medos excessivos). São meninos que se sentem muitas vezes perturbados por mudanças no ambiente exterior ou nas rotinas do seu dia-a-dia e possuem muitas vezes distúrbios alimentares (tendo um leque muito limitado de alimentos que consomem).
Da mesma forma, são frequentemente crianças mais propensas a episódios psicóticos, de hiperactividade e de ansiedade. 
Ainda, e sendo ambas patologias do espectro relacional que se manifestam precocemente, existe o perigo de se estar a sinalizar erradamente estados limite (borderline), uma vez que esta escusa à relação podem ocorrer em ambas e ser facilmente confundida, tal como poderá estar a espelhar a sintomatologia associada de uma criança mergulhada numa profunda depressão que se procura evadir ao contacto com os outros.
Tais dificuldades mascaram, muitas vezes, o verdadeiro diagnóstico, que tende a surgir mais tardiamente.
Para mais, a avaliação, no caso de suspeita de uma perturbação deste espectro, deve ser feita com instrumentos que permitam identificar não apenas as limitações mas também o potencial destas crianças para a aprendizagem. 
Um diagnóstico diferencial correcto, proveniente de uma avaliação extensiva, multidisciplinar com recurso a instrumentos validados que permitam avaliar os vários domínios em que estas perturbações causam défices, permite intervir o mais cedo possível. 
Tal intervenção acarreta benefícios claros para o desenvolvimento da criança, como abre portas a um acompanhamento que possibilita um melhor entendimento da patologia e das suas características por parte dos pais que durante os primeiros anos da criança se sentem, muitas vezes, perdidos.

[Beleza] Especial para as mães ficarem ainda mais bonitas

Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
(...) luz que não apaga
água pura, ar puro,
puro pensamento (...)

Carlos Drummond de Andrade




Texto: Leonor Morais Vasconcelos

Blog Parceiro: Trinta e Tal







A melhor prenda que podemos dar à nossa Mãe são beijinhos, abraços apertados e muito amor.
...Mas pensámos em complementar essas prendas com outras, que decerto as Mães vão gostar :)
Coffret com Baume Beauté Eclair, Eclat Minute Embélisseur Lèvres 01, Mascara Wonder Perfect e Crème Jeunesse des Mains

CLARINS

Creme de mãos Happy Hands

RITUALS

Colour Twister Lipgloss

KIKO MILANO

Pack Love you Mum - óleo de rosa damascena e lavanda calmante

LUSH

J'adore - Voile de Parfum – 50ml

DIOR